Costeletas de borrego grelhadas, batatas em puré, fritas ou assadas e uma mão cheia de queijos foram algumas das sugestões servidas a bordo do Titanic a 14 de abril de 1912, um dia antes do luxuoso navio afundar em pleno oceano Atlântico, depois de chocar contra um icebergue. Um século mais tarde, o menu do último almoço vai ser leiloado no final do mês e pode valer até 70 mil dólares (mais de 60 mil euros) — a notícia surge no dia em que passam 30 anos desde que os destroço do Titanic foram descobertos no fundo do mar.

O menu em questão foi salvo por um passageiro de nome Abraham Lincoln Salomon e encontra-se assinado, nas costas, por outra pessoa do sexo masculino — acredita-se que os dois homens, passageiros de primeira classe, terão almoçado juntos naquele fatídico dia. A Time escreve ainda que, à data do desastre, Salomon encontrava-se num barco salva-vidas que viria a ser chamado de “barco do dinheiro” pela imprensa, devido às alegações de que alguns passageiros terão subornado membros da tripulação para remar para longe do Titanic — uma vez afundado, o navio levou consigo para o fundo do mar cerca de 1500 vidas.

https://twitter.com/JoshJSutton/status/587764839776301057

O menu e outros artefactos vão a leilão a 30 de setembro através da Lion Heart Autographs. Pertencem ao filho de um homem a quem um descendente direto de um dos sobreviventes cedeu os respetivos objetos.