As obras de requalificação da piscina do Campo Grande, em Lisboa, fechadas há nove anos, arrancam esta quarta-feira e vão transformar aquele espaço num complexo desportivo com várias modalidades.

Num investimento de 8,5 milhões de euros do grupo espanhol Ingesport, aquele espaço irá reabrir com quatro salas para aulas de grupo, uma de fitness, três piscinas cobertas interiores (natação livre, aprendizagem e spa) e um circuito hidrotermal (spa, banho turco, sauna e duches de contrates).

Com uma área total de 6.200 metros quadrados, a piscina do Campo Grande vai ter ainda serviço para crianças (Go Fit Kids), consultas de nutrição, estética e massagem e estacionamento com mais de 185 lugares.

O contrato para a reabilitação da piscina do Campo Grande foi assinado em dezembro de 2012 com o grupo espanhol, também proprietário dos ginásios GoFit, e prevê que as instalações continuem a ser da câmara de Lisboa e sejam concessionadas à Ingesport por 35 anos.

Para o lançamento da “primeira pedra”, esta quarta-feira, está prevista uma cerimónia com a presença do presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, e do presidente da Ingesport, Gabriel Saez.

A Ingesport é a empresa que reabilitou as antigas piscinas dos Olivais, que foram também transformadas num complexo desportivo.

O grupo espanhol prevê criar naquele complexo 60 postos de trabalho, 40 dos quais diretos, e alcançar os 10 mil sócios.

Como empresa com responsabilidade social, a Ingesport compromete-se a empregar “pessoas portadoras de deficiência com qualificações para exercer a função de técnico de exercício físico e treinador”, segundo um comunicado.

A piscina do Campo Grande foi encerrada temporariamente em 2006, na gestão de Carmona Rodrigues, devido ao seu estado de degradação e abandono.

Na ocasião, o então vereador com o pelouro do Desporto Pedro Feist descreveu-a como um ” “tanque muito degradado e sujo, que tem de ser substituído por uma piscina nova com qualidade, inserida na requalificação daquela zona”.