Bruno Maçães, secretário de Estado dos Assuntos Europeus, partilhou no Twitter um artigo que é uma crítica feroz à partilha nas redes sociais da foto da criança síria afogada.

brunomacaes

O tweet repete a frase que chama a atenção para o artigo: “chorei, logo sou boa pessoa”.

O texto em causa é da revista Spectator e defende o argumento de que a partilha da foto da criança morta “não é um ato de compaixão, é um ato de narcisismo.” Diz que a partilha repetida desta fotografia nas redes é desenhada “não para começar um debate sério sobre migrações no século XXI mas sim para trazer um estado de auto-satisfação entre os observadores ocidentais.”

O artigo desenvolve a lógica recordando que as crianças têm sido regularmente utilizadas como expoentes de campanhas morais, da Etiópia dos anos oitenta à vitimização de crianças palestinianas – e termina assumindo que estes atos são “moralismo baratucho, emocionalismo a tomar o lugar da reflexão.”

Vário utilizadores do Twitter colocam nos perfis a frase “RT are not endorsements”, significando que a repetição de mensagens alheias na significa que se concorde com elas. Mas o secretário de estado não tem essa mensagem no perfil. Bruno Maçães gravou esta semana uma participação no programa Sociedade das Nações sobre o tema dos refugiados, que irá para o ar na SIC Notícias no próximo sábado às 18h30.