Nas últimas cinco semanas surgiram 12 novos casos de legionela na Região do Grande Porto e as autoridades de saúde já estão a investigar a situação. Duas pessoas encontram-se internadas.

Em declarações ao Jornal de Notícias, a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) confirma que se registou “um número considerado superior ao que seria de esperar” e que por causa disso “merece especial atenção”. A ARSN alertou os hospitais e centros de saúde da região pedindo que notifiquem a Direção Geral de Saúde (DGS) caso se confirme algum possível caso.

A diretora do departamento de saúde pública da ARSN, Maria José Neto, diz ao JN que “dos 12 casos e de acordo com a informação epidemológica disponível, dois estiveram fora de Portugal durante o período provável de ocorrência da infeção. Os restantes dez casos ocorreram em pessoas residentes na Região do Grande Porto”.

A ARSN acrescenta à Lusa que “Até à data não se registou a ocorrência de nenhum óbito entre os doentes referidos” e que “A investigação epidemiológica está a ser conduzida de forma a caracterizar os locais e os percursos que os doentes fizeram durante os 14 dias antes do início dos sintomas, de forma a orientar a investigação ambiental”. Avança ainda que os resultados das colheitas realizadas em alguns equipamentos localizados na região, ainda são negativos.

O mais recente surto de legionela surgiu em novembro do ano passado na zona de Vila Franca de Xira, tendo provocado 12 mortos e infetado 375 pessoas.