O procurador-geral do Brasil, Rodrigo Janot, solicitou formalmente ao Supremo tribunal federal a investigação de diversas campanhas eleitorais da Presidente Dilma Rousseff e do seu antecessor Lula da Silva por supostas irregularidades, referiram hoje diversos media locais.

De acordo com o diário Estado de São Paulo, o procurador, responsável pela investigação do escândalo de corrupção da petrolífera Petrobras, solicitou oficialmente a investigação das campanhas de Rousseff em 2014 e 2010, e de Lula em 2006, por alegadas irregularidades no financiamento.

A decisão de Janot fundamenta-se numa declaração do empresário Ricardo Pessoa, dono da empresa de energia UTC, que assegurou ter doado 7,5 milhões de reais (1,77 milhões de euros) para a campanha de Rousseff, uma verba proveniente da corrupção na Petrobras.

Segundo as investigações efetuadas até ao momento, a estatal Petrobras seria o centro de um esquema de corrupção no qual se inflacionavam até 4% os valores da concessão de contratos, que depois eram repartidos entre os diretores desta companhia estatal e os partidos políticos também envolvidos.

Pessoa, proprietário da construtora UTC Engenharia e um dos indiciados que aceitou colaborar com a investigação em troca de uma redução da pena, afirmou que as doações eram combinadas diretamente com João Vaccari Neto, na ocasião tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), a formação da Presidente brasileira e do seu antecessor, e padrinho político, Lula da Silva.

Janot, cujo mandato foi renovado pelo Senado em finais de agosto, foi criticado na semana passada por alguns partidos da oposição por ter decidido arquivar a investigação sobre supostas irregularidades na campanha eleitoral do PT em 2004, quando Rousseff venceu as eleições presidenciais.