São os primeiros passos em quase cinco anos. O ex-atleta Mark Pollock estava paralisado da cintura para baixo desde 2010, quando caiu de uma janela do segundo andar. Agora, aos 39 anos e na sequência de semanas de treinos com os cientistas da UCLA, voltou a andar. Como? Graças a um exoesqueleto robótico.

Foram usados impulsos elétricos ao longo do exoesqueleto de modo a que Pollock andasse voluntariamente. Estes impulsos estimularam ligações na medula espinal e fizeram com que o ex-atleta “ativasse os músculos das suas pernas num movimento coordenado”, segundo o Instituto Nacional de Imagem Biomédica e Bioengenharia, citado pelo Quartz.

Os exercícios em questão permitiram a Pollock sentir “tensão e formigueiros” nos membros inferiores das pernas. Além disso, os investigadores notaram transpiração na parte inferior das costas e das pernas, coisa que não acontecia desde que ele sofreu a lesão, há cinco anos.

Um dos investigadores da pesquisa e professor na UCLA, Reggie Edgerton, diz agora que o exoesqueleto biónico pode ajudar outras pessoas com paralisia.