O ator e comediante Jimmy Morales, candidato presidencial da Frente de Convergência Nacional nas eleições gerais celebradas no domingo na Guatemala, aumentou a sua vantagem, com mais de 30% das mesas de voto apuradas.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Tribunal Supremo Eleitoral, com 31,92% das mesas de voto contabilizadas, Morales conquistou 25,81% dos apoios. Com uma diferença de mais de cinco pontos percentuais, atrás de Morales, situa-se o advogado e empresário Manuel Baldizón, da Liberdade Democrática Renovada, com 19,69%.

As eleições na Guatemala foram abaladas por escândalos de corrupção, que provocaram a demissão e prisão do ex-presidente Otto Pérez Molina esta semana. O escândalo rebentou em meados de abril, quando a Comissão Internacional Contra a impunidade na Guatemala, entidade da ONU com a função de sanear o sistema judiciário, infiltrado pelo crime organizado, acusou um dos principais assessores da vice-Presidente, Roxana Baldetti, de envolvimento numa rede de contrabando e fraude aos impostos.

Desde então, os guatemaltecos saem à rua todos os sábados para exigir o fim da corrupção e da impunidade.