Um grupo de cientistas desenvolveu um teste que permite descobrir a velocidade a que o seu corpo está a envelhecer. Os resultados do King’s College em Londres, publicados esta segunda-feira no Genome Biology, prometem ter implicação nos diagnósticos de doenças como o Alzheimer, mas também noutras questões relacionadas mais económicas, como os cálculos dos seguros e reformas, conta a BBC.

Esta experiência contou com a participação de dois grupos. Um deles juntou 700 homens suecos na casa dos 70 anos, todos eles submetidos a análises ao sangue, cérebro e músculos.  A partir das amostras recolhidas descobriram que a idade biológica destes homens podia variar em 20 anos em relação à sua idade cronológica, conta o Daily Mail.

Isto levou os investigadores a acreditar que a idade biológica – mais do que a idade cronológica – oferece dados mais precisos sobre o risco de demência e a longevidade.

O segundo grupo a participar no teste juntava indivíduos até aos 65 anos que, embora saudáveis, levassem um estilo de vida sedentário. Ao analisar 150 genes destes participantes, perceberam que certos comportamentos, embora não sejam saudáveis, não afetam a velocidade da idade corporal, explica o Huffington Post.

No entanto, o relatório decorrente desta experiência não explica se existe uma forma de retardar o envelhecimento das células corporais.