A unidade de análise económica do Barclays identificou Moçambique como um dos cinco “gigantes adormecidos” em África, juntando também Angola a outro grupo de quinze países com maiores oportunidades e mais abertura a novos negócios.

“O índice Barclays Africa Trade, que mede as oportunidades e a abertura ao comércio de 31 economias subsaarianas, identifica um grupo de “gigantes adormecidos” que, depois de terem passado por uma fase significativa de agitação económica, estão a recuperar terreno e a ter crescimentos rápidos”, lê-se na nota de análise distribuída aos investidores britânicos.

Estes “gigantes adormecidos” são a Etiópia, a República Democrática do Congo, Moçambique, Gana e Tanzânia, economias que nos próximos anos continuarão o desenvolvimento económico e vão passar por um aumento do consumo privado.

Com uma população total de cerca de 270 milhões de pessoas e um crescimento anual médio de 7,3% nos últimos cinco anos, “estes cinco países representam uma significativa oportunidade de negócio para os exportadores britânicos nos próximos anos”, acrescenta o relatório.

“Em 2020, estes cinco países vão representar uma população de cerca de 325 milhões de pessoas, comparável à dos Estados Unidos e com taxa de crescimento económico que dantes eram reservadas à Índia e à China”, comentou o diretor da área de banca corporativa do Barclays, John Winter.

“Com base nas estimativas recentes, a despesa dos agregados familiares nestes países deve quase duplicar, chegando a mais de mil dólares por ano em 2020; as marcas que começarem agora a estabelecer-se hoje vão estar bem posicionadas para um rápido crescimento em 2020”, acrescentou o responsável.

No índice que junta a procura ainda não satisfeita e a rápida expansão das cadeias de valor com a abertura dos mercados, que reflete a ausência de grandes barreiras ao comércio internacional, Angola aparece classificada em sétimo lugar e Moçambique em décimo quinto, numa lista liderada pela África do Sul, Nigéria e Quénia.