O canoísta português João Amorim sagrou-se campeão do mundo de maratonas em juniores, impondo-se com grande à vontade em C1 em Gyor, Hungria.

No arranque dos Mundiais, o jovem português cumpriu os 18,3 quilómetros em 1:27.37 horas, deixando os húngaros Zoltán Koleszár e Dániel Laczó a 1.16 e 4.46 minutos, respetivamente.

Em declarações prestadas à Antena 1, o jovem atleta português descreveu como “muito boa mas muito estranha” a sensação de “ser o melhor do mundo na minha categoria”. João Amorim disse ainda que conhecia aa dureza dos últimos quilómetros da prova, o que o levou a “guardar-se” no início para poder mais tarde “fazer um ataque final”.

Em 2014, João Amorim tinha sido quarto classificado.

Em Gyor, Portugal apresenta uma seleção de nove elementos que vão competir em sete tripulações, destacando-se José Ramalho, bicampeão europeu em K1 em título.

O atleta de Vila do Conde, que foi campeão da Europa também em 2011, persegue um inédito título mundial, já que o melhor que conseguiu foi a medalha de prata, em 2013, e as de bronze, em 2009 e 2014.

Nuno Barros (C1), que foi terceiro nos Europeus, é o atleta que se destaca nas canoas, procurando conquistar novamente o título mundial, que conseguiu em 2010, em Espanha.

O atleta, que incorpora a Guarda Nacional Republicana, foi campeão da Europa em 2011 e 2014 e conquistou ainda a medalha de bronze nos Mundiais de 2014.