“Vamos mudar a política na Grã-Bretanha, nós desafiamos a narrativa de que apenas o indivíduo importa para, em vez de isso, afirmar que o bem comum é a aspiração de todos”, afirmou. Jeremy Corbyn falava no último comício realizado na sua circunscrição eleitoral, no norte de Londres.

A votação para eleger o novo líder do Partido Trabalhista teve início no passado 13 de agosto e terminou hoje ao meio-dia, depois de uma campanha dominada pela ascensão do radical Jeremy Corbyn. O vencedor vai ser anunciado no sábado. O partido realiza duas semanas mais tarde, a 27 de setembro, o seu congresso anual.

Jeremy Corbyn, 66 anos, mais próximo dos movimentos contra a austeridade grego Syriza e espanhol Podemos do que do reformista Tony Blair, conseguiu consolidar o seu estatuto junto dos jovens e velhos militantes e sindicatos.

Na corrida para a liderança do Partido Trabalhista participam também Andy Burnham, Yvette Cooper e Liz Kendall.

Em agosto, Tony Blair escreveu no diário The Guardian que a eleições de Jeremy Corbyn para líder do partido pode representar a “destruição” da formação política.