Os minhotos retocaram o plantel nos últimos dias do ‘mercado’, que fechou a 31 de agosto, e o técnico mostrou satisfação pelas soluções encontradas.

“É indesmentível que estamos mais fortes. O Aarón Niguez e o Wilson Eduardo chegaram porque eram excelentes oportunidades de negócio e têm qualidade para jogar. O Arghus estava sinalizado depois da saída de Santos, o Filipe Augusto chegou porque o Pedro Tiba pediu para sair e acedemos ao seu pedido. Estamos mais fortes, mas são jogadores que chegaram agora e estão a integrar-se e terão a sua oportunidade”, disse.

Sobre a saída de Pedro Tiba para o Valladolid, da segunda divisão espanhola, jogador titular durante praticamente toda a época passada e que deixou alguns reparos implícitos ao treinador português na apresentação na equipa espanhola, Paulo Fonseca disse que a decisão foi do médio.

“Entendo até onde ele quer chegar até porque fui jogador, mas se lhe perguntarem se alguma vez lhe demonstrei que a minha vontade era que ele abandonasse o plantel isso nunca aconteceu, a iniciativa foi dele. Eu contava com ele, foi convocado nos três jogos, é um ativo do clube, mas foi ele próprio que quis sair”, explicou.

Paulo Fonseca não quis individualizar mais questões sobre jogadores, mas detalhou que as suas escolhas são feitas com base em quatro parâmetros: treino durante a semana, estratégia de jogo, assimilação das suas ideias e desempenho nos jogos. Sobre a partida com o Estoril-Praia, anteviu “um jogo bastante complicado”.

“Vi os jogos do Estoril [esta época] e fiquei preso pela qualidade de jogo apresentada. Se virmos pelos resultados nada de significativo fez, mas jogou fora contra Benfica e FC Porto, e Moreirense em casa, e constatei que nesses jogos teve uma qualidade muito apreciável. Admiro a sua equipa pela postura no jogo, pela forma como demonstra as suas intenções coletivas. É uma equipa muito forte e se não demonstramos mais vontade e determinação que o Estoril corremos o risco de não termos um bom resultado e o que queremos é alcançar a primeira vitória fora”, referiu.

Considerou ainda que a equipa está a evoluir de dia para dia no caminho que pretende e garantiu que o jogo da Liga Europa, quinta-feira, com o Slovan Liberec, não terá “praticamente influência nenhuma” na partida de sábado, admitindo algumas mudanças porque, “independentemente de quem jogar, o coletivo não perde qualidade”.

“Felizmente vamos começar a jogar aos fins de semana e a meio da semana, é sinal que estamos envolvidos em competições importantes, mas temos um plantel com qualidade suficiente para encarar de forma ambiciosa toda as competições”, afirmou.

Sporting de Braga, quinto classificado com seis pontos, e Estoril-Praia, 14.º com três, defrontam-se no sábado, às 18h30, no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.