Paul Sabapathy, representante da Rainha Isabel II no condado das West Midlands, demitiu-se depois de ter sido divulgada uma troca de emails onde refere que os paquistaneses que vivem no Reino Unido deviam aprender “as regras básicas da cortesia e da civilidade”, refere o Guardian. O comentário do representante da rainha foi feito na sequência de um encontro no consulado paquistanês em Birmingham, em Inglaterra, para assinalar o dia da independência do Paquistão, que se celebra a 14 de agosto.

Descontente com a falta de respeito de que alegadamente terá sido vítima enquanto representante direto de Isabel II, Sabapathy terá frisado num email que “os paquistaneses são pessoas adoráveis, mas há muito trabalho a ser feito no sentido de lhes ensinar as regras básicas da cortesia e da civilidade”. “Falam para eles próprios e não se esforçam em chegar ao resto da comunidade. Vivem no Reino Unido, e não no Paquistão”, acrescentou Sabapathy, citado pelo Guardian.

“Embora estejam orgulhosos da sua cultura e herança, precisam de se explicar melhor e de se dar mais com os seus irmãos e irmãs que não são paquistaneses se querem que os seus filhos tenham sucesso enquanto cidadãos britânicos paquistaneses”, referiu o representante da rainha Isabel II.

Paul Sabapathy nasceu em Chennai, no sul da Índia, e mudou-se para o Reino Unido em 1964. Foi o primeiro cidadão de origem indiana a ser nomeado lord lieutenant, o título atribuído aos representantes diretos da rainha de Inglaterra, que existem em todos os condados britânicos. Estes são diretamente nomeados pela rainha, aconselhada pelo primeiro-ministro. Podem ser homens ou mulheres.

Os lord lieutenants foram criados durante o reinado de Henrique VIII (1491-1547) para substituir os antigos sheriffs, responsáveis pelos condados, e para controlarem as forças militares. Atualmente, o seu papel é essencialmente cerimonial.