Primeiro, uma rapariga em cima do palco com uma prancha de surf debaixo do braço, um microfone à frente e a guitarra à tiracolo. Depois, um monte de gargalhadas com o nome da música que a levou até ali: “My Boss Is a Dick Head”. A seguir os amigos junta-se-lhe no palco com um trompete e um trombone. E para rematar, uma atuação bem à portuguesa a que ninguém no X Factor britânico ficou indiferente.

Esta foi a receita para o sucesso de Sara Paço, a portuguesa que apostou no Factor X no Reino Unido com uma música original. A economista trabalhava num banco, mas a relação com o patrão não era de todo saudável. “Ele era tão rude”, recorda a artista enquanto enfrenta o júri composto por Rita Ora, Simon Cowell e Cheryl Cole.

O nome da música causou espanto, mas a performance de Sara Paço ao lado dos companheiros, Pedro e Cláudio, é que conquistaram o público, que não resistiu à voz da economista nem ao humor da canção. E o resultado não podia ser outro: Sara Paços passou à fase seguinte com um grande agradecimento de Rita Ora e três “sim” no bolso.

Na sua página de Facebook, Sara Paço escreveu: “Isto é incrível, a vida leva-nos para lugares incríveis. Esta é uma aventura tão maravilhosa” e descreve como um “trabalho terrível num banco” acabou numa canção sobre exploração, controlo e bullying. “Uma coisa eu sei: nunca mais quero voltar para aquele banco”, admite ela.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas esta não foi a primeira vez que ouvimos falar de Sara. Ainda este ano, os festivaleiros do MEO Sudoeste puderam ouvir e cantar ao som da ousada “My Boss Is a Dick Head”, lançada pelas edições Valentim de Carvalho.

https://www.youtube.com/watch?v=8ZIE01b1Bo8