A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou para “um agravamento excecional” das condições meteorológicas no norte e centro nos próximos três dias, com chuva forte, ondas até quatro metros e vento com rajadas até 130 quilómetros.

Num aviso à população emitido ao início da tarde, e baseando-se nas previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a ANPC lembra que a partir da próxima madrugada e até à tarde de quarta-feira pode ocorrer precipitação forte e muito forte. O vento soprará forte de forma persistente, até 100 quilómetros por hora, podendo atingir os 130 nas terras altas.

“Não são de excluir eventuais fenómenos extremos de vento”, alerta a ANPC, que chama a atenção para efeitos como formação de lençóis de água nas estradas, cheias rápidas em meio urbano, inundações, danos em estruturas montadas ou suspensas e “galgamento costeiro”.

A ANPC recomenda a desobstrução de sistemas de escoamento de águas, cuidados na condução, nomeadamente evitando zonas inundadas e arborizadas e a orla costeira, e a fixação de estruturas soltas, como andaimes.

Na manhã de hoje, em declarações à Lusa, a meteorologista Maria João Frada já tinha alertado para a previsão de chuva forte e com vento nos distritos do Porto, Viana do Castelo e Braga, que na terça-feira vão estar sob aviso laranja.

“Amanhã [terça-feira] vamos ter um agravamento do estado do tempo no Minho e Douro litoral. Prevê-se céu muito nublado durante a manhã com ocorrência de períodos de chuva que vai estender-se depois a partir da tarde às regiões do norte e centro e depois ao alto Alentejo”, adiantou à Lusa a especialista.

De acordo com a meteorologista o dia de terça-feira vai ser marcado por chuva forte, persistente no Minho e Douro litoral e eventualmente depois nos restantes distritos a norte do sistema Montejunto-Estrela.

“No entanto, o cenário mais gravoso será no litoral a norte do cabo Mondego (Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Vila Real e Viseu (a parte mais oeste destes distritos). Não podemos também excluir que nestes distritos não possa haver localmente, mas com baixa probabilidade, fenómenos extremos de vento”, salientou.