Nem toda a gente deu por isso, mas enquanto a Apple lançava o iPad Pro também apresentava uma outra invenção revolucionária. Dá para escrever, desenhar e simular sombras, tudo com uma precisão matemática nos aparelhos da maçã. É, nada mais nada menos, que um lápis (Apple Pencil) que custa 99 dólares.

Um lápis caro que meteu o departamento de publicidade do IKEA a rir (outra vez) da invenção, garante o Huffington Post. E não tardaram a desenhar (com lápis normal, acreditamos) uma paródia contra a Apple.

O anúncio do Apple Pencil mostra uma mão masculina a pressionar o lápis branco da Apple em cima de um iPad, com a frase “Completamente familiar. Inteiramente revolucionário”. A publicidade da IKEA mostra também uma mão de homem a agarrar o tradicional lápis de carvão da marca em cima de um caderno de papel. A frase? “Absolutamente familiar. Inteiramente grátis”.

montagem_lápis

À esquerda, a publicidade da Apple. À direita, a paródia do IKEA. Créditos: Apple Website (Captura de Ecrã) e IKEA.

A imagem do IKEA foi colocada no mural de Facebook da marca sueca em Singapura e a publicação já conquistou quase 7200 gostos e 3600 partilhas. Comentários há muitos, entre os quais um que levantou 303 polegares dos facebookianos: “É compatível com o BookBook?”.

Para entender o motivo por detrás deste comentário é preciso recuar um ano, quando a IKEA promoveu um dos seus catálogos de 2015, fingindo que se tratava de um produto altamente tecnológico ao estilo da Apple, recorda a Time. “Introduzindo o catálogo do IKEA de 2015. Não é livro digital (digital book), é um livro livro (BookBook)“, diz Jorgen Eghammer, um designer da marca. Depois, apresentava uma série de vantagens pelo facto de o catálogo ser físico: não precisa de bateria, é eterno, o tamanho pode ser aumentado quando as páginas são abertas e tem dezenas de páginas em alta qualidade.