Uma empresa cultural da Lousã concebeu um videojogo que visa sensibilizar os utilizadores para a importância da água potável e apoiar uma organização internacional que trabalha com esse objetivo, anunciou o promotor da iniciativa.

“Com este jogo didático, pretendemos consciencializar as pessoas para o valor da água para consumo humano, mas também gerar doações para solidariedade”, adiantou à agência Lusa João Carlos Ramalheiro, diretor da Insignio Labs.

O novo produto da firma da Lousã, no distrito de Coimbra, foi designado “Water heroes – A game for change” (“Heróis da água – Um jogo para a mudança”).

Segundo João Carlos Ramalheiro, professor de música, trata-se de “um jogo do tipo ‘puzzle’, inspirado em jogos de correspondência de peças”, devendo a empresa “doar sempre, pelo menos, 50% da receita das vendas”, margem que será de 100% “nos meses que se seguirem ao seu lançamento” no mercado.

“Para financiar o desenvolvimento do Water Heroes, lançámos uma campanha exclusiva de angariação de fundos na plataforma ‘online’ Indiegogo, em que os financiadores irão influenciar as nossas estratégias de doação”, afirmou.

Numa primeira fase, “este dinheiro, 45 mil euros, irá ser investido na empresa para possibilitar o desenvolvimento que falta” para concluir o projeto do videojogo.

“Após o seu lançamento, iremos doar até 100% das nossas receitas para projetos de caridade relacionados com a preservação da água”, disse o empresário.

A Insignio Labs está a negociar a contratualização das doações à fundação alemã Saving an Angel, que tem investimentos, no Equador, na área da preservação da água potável, ao abrigo do projeto “Clearwater”.

No ano passado, João Carlos Ramalheiro começou a vender na internet, para todo o mundo, um videojogo para “revolucionar o ensino da música” às crianças.

Disponível para diferentes plataformas digitais, a aplicação “Oratio’s Flute Master”, produzida pela sua empresa, foi premiada pela Microsoft Portugal, em fevereiro de 2014.