Chama-se Rahf e é uma bebé síria com apenas quatro dias de vida que já enfrenta o problema do encerramento das fronteiras com a sua família. O pai, Yousef Aba Zeed, e a mãe, Anwar, atravessaram a Turquia, cruzaram depois a Grécia, a Macedónia e a Sérvia, onde acabaram por ficar presos por causa do encerramento das fronteiras entre este último país e a Hungria.

A particularidade deste caso reside no facto da bebé Rahf ter nascido durante esta travessia, na ilha de Samos, na Grécia. Podia ser apenas mais um bebé, mas o facto de ter nascido durante a crise de refugiados que está a afetar a Europa e ter visto a sua viagem interrompida dá de novo um rosto e um nome a este drama. Na verdade a família já pediu ajuda, mas ainda não terá conseguido resposta por parte das autoridades, como explica o ABC.

As novas imposições da Hungria, que encerrou as suas fronteiras, ergueu uma barreira de 170 quilómetros e tomou medidas drásticas para impedir a entrada de mais refugiados, estão a afetar a situação de todos recém-chegados. Os que pedem asilo nesse país estão a ser devolvidos à fronteira com a Sérvia, ao mesmo tempo que as autoridades começaram a aplicar uma nova lei que criminaliza todos os que entrarem sem documentação no país, que agora incorrem numa pena até três anos de prisão.

Cerca de 4.000 refugiados chegaram à Croácia nas últimas 24 horas

Os migrantes, incluindo os refugiados que fugiram dos conflitos no Médio Oriente, continuam a seguir em direção à Croácia, país que se tornou uma nova porta de entrada na União Europeia, esclareceu a televisão nacional croata.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quase 1.200 migrantes chegaram na quarta-feira à Croácia, depois de aberta uma nova estrada para entrada na União Europeia, após o encerramento da fronteira entre a Hungria e a Sérvia, refere em comunicado o Ministério do Interior croata.

O primeiro-ministro croata assegurou na quarta-feira que vai permitir a passagem dos migrantes que se dirigem para a Europa ocidental enquanto a Presidente convocou uma reunião do Conselho de Segurança nacional para discutir a gestão da crise migratória.