Pelo menos 2.000 refugiados voltaram a cruzar a fronteira entre a Sérvia e a Croácia nas últimas 12 horas com a esperança de poderem seguir viagem rumo à Alemanha, informou hoje a televisão pública croata HTV.

Os refugiados passaram a pé a fronteira entre os dois países, atravessando campos de milho até chegar à localidade de Tovarnik, onde o exército croata está a instalar um acampamento com capacidade para 5.000 pessoas, adiantou a agência AFP.

Todos os refugiados enviados da Croácia para a Hungria foram transportados pelas autoridades magiares em autocarros e comboios até à fronteira com a Áustria.

De acordo com a Cruz Vermelha austríaca, durante o dia de sábado entraram no país entre 10.000 a 13.000 refugiados, na sua maioria vindos da Hungria, e os restantes da Eslovénia.

Segundo a agência EFE, esta manhã 700 pessoas aguardavam na fronteira entre a Croácia e a Eslovénia para seguirem viagem.

De acordo com a polícia eslovena, mais de 2.000 refugiados já passaram a fronteira entre a Croácia e a Eslovénia, cerca de metade dos quais nas últimas 24 horas, e algumas centenas já chegaram à Áustria.

O ministro dos Negócios Estrangeiros esloveno, Karl Erjavec, disse na noite de sábado na televisão pública do país que a Eslovénia tem capacidade para receber temporariamente um máximo de 9.000 refugiados.

A imprensa croata adiantou que a chanceler alemã, Angela Merkel, pediu ao Governo da Croácia para que retenha os refugiados no país por um período determinado.

Segundo a imprensa croata, citada pela EFE, a chefe do Governo alemão falou por telefone com o seu homólogo croata na sexta-feira, mas este terá rejeitado o pedido, alegando que a Croácia não pode reter as pessoas contra a sua vontade.