O número de cidadãos japoneses com 80 ou mais anos ultrapassou, pela primeira vez, os 10 milhões, o que representa 7,9% da população, segundo dados anuais divulgados pelo Governo nipónico.

O Japão tem atualmente um número recorde de 33,84 milhões de pessoas com mais de 65 anos, 26,7% da população do país, segundo as estatísticas publicadas pelo Ministério do Interior e das Comunicações, a propósito da celebração, hoje, do Dia Nacional dos Idosos. Do número total de pessoas da terceira idade, 19,21 milhões são mulheres (29,5% da população feminina) e 14,62 são homens (23,7% da população masculina).

A mulher mais velha do Japão é uma residente de Tóquio com 115 anos, nascida em março de 1900, enquanto o homem de idade mais avançada, Yasutaro Koide, é de Nagoya, tem 112 anos e nasceu em março de 1903. No passado mês de agosto, Yasutaro Koide foi reconhecido como o homem mais velho do mundo pelo Livro Guinness dos Recordes.

O Instituto Nacional de População e Segurança Social do Japão calcula que 36% dos seus cidadãos tenham mais de 65 anos em 2040. Esta evolução representa um desafio para a terceira economia mundial, e em particular para a sustentabilidade dos serviços de saúde e do sistema de pensões.