Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Ainda mal tinha secado a tinta com que foi escrito o pedido de desculpas do presidente-executivo da Volkswagen, Martin Winterkorn, pelo escândalo que se abateu nos EUA sobre a fabricante alemã. Em vários canais televisivos nos EUA passou, este domingo, um anúncio feito especificamente para a cerimónia dos Prémios Emmy – mas que passou, também, nos intervalos dos jogos da liga de futebol americano – e que ficará na História da publicidade por ter tido um dos piores timings de sempre. “It’s not that easy being green…”

O anúncio estava feito e o espaço publicitário estava comprado. A Volkswagen seguiu em frente com um spot publicitário com o slogan “Verdade na Engenharia”. Era mais um anúncio feito para consolidar a imagem da marca alemã como líder no fabrico de automóveis amigos do ambiente (verdes). Mas não podia ter vindo em pior altura, como conta a Bloomberg, porque a empresa estava já no centro de um escândalo de manipulação de resultados em testes de emissões poluentes. Um escândalo que, como lhe contámos aqui, foi descoberto por acaso.

Para protagonista foi convidado, precisamente, o sapo verde mais conhecido do mundo, o Sapo Cocas, ou Kermit the Frog, como é conhecido nos EUA. E surgem, também, caras conhecidas como as atrizes Julie Bowen e Viola Davis, além do comediante Joel McHale.

Além do slogan “Truth in Engineering“, o diálogo centrava-se no trocadilho entre a cor do sapo e os veículos pretensamente verdes do grupo Volkswagen. No final do anúncio, Joel McHale saltava a bordo de um dos modelos, neste caso um Audi, que terão sido equipados com um mecanismo para mascarar a quantidade de gases poluentes que o veículo emitia. E dizia: “Não é assim tão fácil ser verde“.

Veja aqui a versão integral do anúncio publicitário.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR