Coligação e PS a descer. Pequenos partidos a subir. É esta a leitura das segundas sondagens diárias reveladas esta terça-feira.

O estudo da Intercampus para a TVI, TSF e Público, mantém a PàF na frente, com 38,9%, contra 35,7% do PS. Comparativamente a segunda-feira, este tracking poll revela assim uma descida de 1,2 pontos para a coligação e de 1,4 pontos para os socialistas, que se mantêm separados por cerca de 3 pontos (3,2), ou seja, dentro da margem de erro (3,1%). Em sentido contrário estão os chamados pequenos partidos. O estudo indica 7,3% das intenções de voto para a CDU, uma subida de 1 ponto. Já o Bloco passa de 4% para 4,4%, uma subida de 0,4 pontos.

Já na sondagem da Universidade Católica para a RTP, o destaque vai também para os pequenos partidos. A CDU de Jerónimo de Sousa, que sobe 2 pontos em relação aos valores de segunda-feira, de 8% para 10%; e o Bloco de Esquerda que cresce 1 ponto, de 7% para 8%. O estudo mostra também uma tendência de descida do PS, que perde 1 ponto (de 35% para 34%), enquanto a coligação, neste caso, mantém as intenções de voto nos 40%.

No estudo da Intercampus, a percentagem de indecisos continua a subir, passou de 18,5% para 19,9%, ou seja, um aumento de 1,4. A sondagem foi feita com base em 1005 entrevistas com uma taxa de resposta de 56,4%.

No caso da sondagem da Universidade Católica, a percentagem de indecisos é de 31%, tendo diminuído 3 pontos em relação a segunda-feira. O estudo foi feito com base em 828 inquéritos, com uma taxa de resposta de 73% e uma margem de erro de 3,4%.

Tendência clara: PS a perder terreno

Tendo como base as sondagens da Intercampus e da Católica publicadas no dia 22 deste mês, Pedro Magalhães conclui que a tendência se está a consolidar com o PS a descer e a coligação a subir. A CDU mantém a estimativa de Janeiro, mas com resultados mais baixos do que 2012 e 2013, e o Bloco de Esquerda com 5,5%, com mais dois pontos percentuais do que em Janeiro.

Estimativas actualizadas do POPSTAR:

PSD/CDS: 37,3%

PS: 35,6%

CDU: 9%

BE: 5,5%

O cientista político explica ainda que as sondagens mais recentes não têm apresentado estimativas para o Livre ou para o PDR, o que não oferece informação nova para as tendências da Popstar. Mas estas mantêm-se intactas.

Para além disso, é referido também que não se teve em conta as sondagens da Aximage, publicadas pelo Correio da Manhã, porque diariamente são substituídas 100 pessoas de uma amostra total de 700. Esta sondagem será acionada quando a renovação da amostra for totalmente feita. Este é o caso da sondagem da Católica para a RTP, onde foi completada a renovação. Ou seja, a amostra utilizada na primeira sondagem é completamente diferente da utilizada agora. O que permite recolher informação nova.