O Governo do Brasil prevê uma queda de 2,44% do Produto Interno Bruto (PIB) do país e uma inflação de 9,29% em 2015, segundo um documento oficial divulgado na terça-feira e que será apresentado ao Congresso.

De acordo com os dados do documento, divulgado pelo Ministério da Planificação, e elaborado a cada dois meses, as previsões pioraram em relação ao anterior relatório, em que o Executivo brasileiro estimava um retrocesso na economia de 1,49% e uma inflação de 9%.

Ainda assim, os valores estão acima das últimas projeções semanais dos analistas do mercado financeiro divulgadas na segunda-feira pelo Banco Central, que previam uma contração de 2,70% do PIB do Brasil em 2015.

Em relação à inflação de 2015, os especialistas consultados pelo Banco Central também consideram que o resultado será pior e que haverá um aumento dos preços de 9,34%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

as duas previsões para a inflação duplicam a meta oficial de 4,5% e superam o teto de 6,5% fixado pelo próprio Executivo.

O Brasil encontra-se em recessão técnica depois de dois trimestres de crescimento negativo entre janeiro e junho deste ano.

A agência de ‘rating’ Standard & Poor’s reduziu recentemente a avaliação da dívida soberana do Brasil para o nível de Não Investimento, conhecido como ‘lixo’.

O ministro das Finanças do Brasil, Joaquim Levy, vai hoje reunir-se com os analistas da agência de notação financeira Fitch, depois de a moeda brasileira, o real, ter sofrido a maior desvalorização de sempre face ao dólar, passando a barreira dos quatro reais por dólar, para 4,03.