O papa Francisco chegou aos Estados Unidos para a sua primeira visita a este país que durará seis dias e, devido ao foco nos excessos do consumo, pobreza e marginalizados, pode ser vista como crítica da sociedade norte-americana.

E por isso, durante a viagem de Cuba até aos Estados Unidos, Francisco respondeu às opiniões que dão conta que este é de esquerda ou até mesmo comunista: “Talvez haja a impressão de que sou um pouco de esquerda, mas eu não disse absolutamente nada que não esteja na doutrina social da Igreja,” afirmou antes de reforçar que “a minha doutrina em relação a isto, ao Laudato si’ (encíclica do Papa Francisco onde critica o consumismo e o desenvolvimento irresponsável), à economia imperialista, é a doutrina social da Igreja. Estou pronto para recitar o credo inteiro se for preciso,” brincou.

O sumo pontífice, de 78 anos, pisou solo norte-americano pela primeira vez na terça-feira, depois de uma visita a Cuba, na Base Andrews, da Força Aérea, nos arredores de Washington, onde foi recebido pelo Presidente Barack Obama, a sua mulher, Michelle, e as suas duas filhas.

Líderes católicos dos Estados Unidos da América e algumas centenas de devotos cumprimentaram o papa, que acenou à multidão.

Um pequeno grupo de crianças de escolas católicas da zona de Washington foi colocado na linha da frente para dar as boas-vindas a Francisco. Esta quarta-feira, Obama vai receber o Papa na Casa Branca.

“Quando o Presidente se sentar amanhã [quarta-feira] com o Papa Francisco na Sala Oval, não terá uma agenda política”, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest. “Esta é uma oportunidade para dois homens que têm tantos valores em comum falarem sobre os seus esforços, nos seus respetivos e muito distintos papéis, para fazer avançar esses valores partilhados”, indicou.

Segundo Earnest, o Presidente dos EUA, Barack Obama, considera que o papa Francisco é “uma fonte de inspiração, não apenas para católicos, mas para pessoas de todas as religiões em todo o mundo”.

Durante a sua visita aos EUA, de seis dias, o papa vai fazer dois discursos, um no Congresso, na quinta-feira, e outro na sede das Nações Unidas, na sexta-feira.