As entidades qualificadas para fazer colonoscopias na zona da Grande Lisboa passaram de duas para 37, informou esta quinta-feira o Ministério da Saúde, explicando que os contratos são assinados a partir de sexta-feira e entram de imediato em vigor.

Em comunicado, o Ministério explica que concluiu na quarta-feira os concursos para a realização de colonoscopias, destinados a aumentar o número de entidades prestadoras do exame na zona da Grande Lisboa.

Trata-se de “um aumento significativo da capacidade instalada” e a partir de agora as novas entidades prestadoras integrarão a rede de convencionados do Serviço Nacional de Saúde, diz o comunicado.

Em 2013 fizeram-se mais de 118 mil colonoscopias, que custaram mais de cinco milhões de euros. No ano passado houve um aumento de quase 30 por cento de colonoscopias, que custaram mais de sete milhões de euros.

Em junho passado o ministro da Saúde tinha anunciado o concurso e esclarecido que os utentes que optarem por realizar as colonoscopias nos novos prestadores de serviços de saúde terão a opção de efetuar o exame com sedação.

De acordo com a Administração Central dos Sistemas de Saúde apresentaram propostas ao concurso 170 prestadores de cuidados de saúde, 16 só no distrito de Lisboa.

Num comunicado divulgado em junho a Administração Central lembrava que os utentes do Serviço Nacional de Saúde com uma credencial emitida pelos serviços e estabelecimentos de saúde públicos podem dirigir-se a qualquer uma das várias entidades que estão convencionadas com o Estado a nível nacional e aí realizarem as colonoscopias (exame por endoscopia do intestino grosso).