Os controladores aéreos fazem sábado uma greve de 12 horas em todos os aeroportos espanhóis, entre as 6 horas e as 18 horas, mas foram-lhes fixados serviços mínimos que correspondem a cerca de 80% da operação programada.

Segundo a União Sindical de Controladores Aéreos (USCA), a greve é irreversível porque não foi conseguido qualquer acordo com a administração da empresa de gestão aeroportuária Enaire, na reunião realizada esta quinta-feira de manhã.

A empresa manifestou num comunicado a sua disponibilidade para o diálogo e lamentou que não tenha sido possível chegar a acordo com os representantes sindicais.

A USCA reivindica a retirada das sanções aplicadas a 61 trabalhadores de Barcelona durante o encerramento do espaço aéreo em 2010 e a readmissão de um controlador despedido em Santiago.

A estrutura sindical convocou outra greve parcial idêntica para dia 3 de outubro.

Os controladores espanhóis fizeram oito greves parciais em junho e julho e cumpriram serviços mínimos entre os 70% e os 80%.