Mamie Eisenhower ficou conhecida nos Estados Unidos por três coisas: foi uma das primeiras damas mais activas na Casa Branca, durante a presidência do marido, Dwight Eisenhower; vinha de uma família com tanto dinheiro que o seu pai reformou-se aos 36 anos; e adorava roupas e joias. A primeira caraterística interessa aos historiadores, a segunda a genealogistas e a terceira a estilistas – e a soma das três interessa à leiloeira Sotheby’s.

Esta quinta e sexta-feira, são postas à venda várias joias que pertenceram a figuras históricas e uma dessas figuras é precisamente Mamie Eisenhower. Uma das peças é um colar de esmeraldas e rubis que o presidente dos Estados Unidos lhe ofereceu em 1959. Essa peça foi depois entregue à mulher do filho de Eisenhower e chega agora a leilão, à semelhança de muitas outras, com um M gravado (de “Mamie”).

Há mais joias que pertenceram a mulheres com importância histórica: anéis de diamantes e ouro de Estée Lauder, a criadora de uma das mais conceituadas marcas de cosméticos do mundo; um anel de diamante de Mimi Walters Prentice, da família Rockefeller; e peças de Dolores Sherwood Bosshard, uma socialite que marcou as capas das revistas femininas nos anos 40.

Nem todos os preços são estratosféricos: o valor estimado da peça mais barata começa em 4.500 euros. Mas não se entusiasme demasiado:  o da mais cara termina em 2,4 milhões.