A Human Rights Watch (HRW) disse que o acordo entre o Governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) “sacrifica a justiça” para milhares de vítimas de graves violações de direitos humanos.

“Apoiamos totalmente os esforços da Colômbia para alcançar um acordo de paz que ponha fim a anos de acontecimentos sangrentos, incluindo mediante mecanismos inovadores para incentivar à responsabilização por violações de direitos humanos”, afirmou o diretor da Human Rights Watch (HRW) para as Américas, José Miguel Vivanco.

Porém, “ainda que a jurisdição especial contribua para que haja confissões, também vai permitir que os responsáveis máximos de atrocidades escapem à prisão, privando desse modo as vítimas de qualquer medida de justiça que minimamente respeite o sentido desse valor universal”.

O governo colombiano e as FARC anunciaram na noite de quarta-feira, em Havana, um acordo considerado decisivo para a paz entre as partes. O acordo prevê a criação de um tribunal especial para a paz e o Estado colombiano vai conceder uma amnistia “o mais ampla possível” aos delitos políticos, ficando de fora os crimes que na legislação da Colômbia estejam tipificados como sendo de lesa-humanidade, genocídio ou graves crimes de guerra.

O acordo contempla ainda a entrega das armas pelas FARC num prazo de 60 dias. O Presidente colombiano já afirmou que o acordo de paz vai ser assinado no máximo “dentro de seis meses”.