O papa Francisco reuniu-se em Filadélfia com duas vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da igreja a quem prometeu que todos os responsáveis por esses crimes “vão prestar contas”.

“Os crimes, os pecados dos abusos sexuais a menores, não podem ser mantidos em segredo durante mais tempo”, disse o papa, no início de um encontro que mantem em Filadelfia com vários bispos.

No encontro, o papa disse que a instituição civil do matrimónio e o sacramento cristão já “não coincidem substancialmente, nem se apoiam mutuamente” e apelou a que não se esqueça o contexto histórico.

Esta mudança tem consequências culturais, sociais e também jurídicas sobre os vínculos familiares e envolve todos “crentes e não crentes”, disse o pontífice perante os bispos convidados ao Encontro Mundial das Famílias, a decorrer naquela cidade norte-americana.