Há oito jogadoras da seleção feminina de futebol do Irão que são, na verdade, homens à espera de operações de mudança de sexo. A notícia é do site Al Arabiya, que cita um funcionário da liga iraniana, o qual acrescenta ainda que não se sabe ao certo quantas pessoas daquela seleção nasceram homens.

Na quarta-feira, a federação iraniana de futebol terá ordenado a realização de testes a todas as pessoas que integram a seleção, no sentido de despistar eventuais fraudes. Segundo Mojtabi Sharifi, o funcionário que falou com o Al Arabiya, a conduta da federação tem sido “pouco ética”, pois já terá conhecimento da situação há algum tempo.

Em 2014, o jornal britânico The Telegraph revelou que alguns desportistas de topo de equipas femininas do Irão não eram realmente mulheres. Entre as pessoas encontravam-se quatro que jogam habitualmente na seleção. Tratava-se de homens que ainda não tinham feito a operação de mudança de sexo e de outros que sofriam de problemas no desenvolvimento sexual. Já em 2010, refere o jornal, tinha havido suspeitas sobre o sexo da guarda-redes nacional.

As operações de mudança de sexo são permitidas no Irão desde que o aiatola Khomeini deliberou nesse sentido, durante os anos 1980. Hoje em dia, o Irão é um dos países do mundo onde mais se realizam este tipo de cirurgias, que pode ser feito por fases e demorar até dois anos até estar concluído.