434kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Paredes móveis em casa? A IKEA diz que sim

Este artigo tem mais de 5 anos

A marca sueca alugou secretamente um apartamento para perceber os problemas de espaço de várias famílias. Problemas apontados, eis as soluções. Paredes e tomadas elétricas móveis.

i

IKEA

IKEA

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Paredes móveis e tomadas elétricas que se tiram e põem onde quisermos — os dois cenários fazem parte do futuro próximo do IKEA. Desde há dois anos que a marca arranjou um apartamento pequeno na Suécia para efetuar testes. Várias famílias viveram no apartamento durante duas semanas. Ao longo do tempo, a marca sueca registou as dificuldades e os desafios que enfrentavam no dia-a-dia.

Resultado: era preciso criar mais espaço e assegurar a privacidade dos habitantes. Solução: as paredes removíveis permitem a rápida adequação às necessidades de espaço e as tomadas elétricas móveis garantem a comodidade e a usabilidade de cada um deles.

Três jovens aderiram ao desafio e o pai deles acompanhou-os. Todos foram viver para a casa secreta do IKEA. A surpresa chegou: “O apartamento até parecia maior que o meu, que tem mais 20 metros quadrados”, contou o patriarca Robin Williams ao Wall Street Journal.

Como geralmente acontece com as novidades tecnológicas, um dos problemas é o preço. As paredes que saem de sítio têm de ser feitas por encomenda e terão um preço altíssimo. Para o IKEA, o desafio é assegurar as normas de segurança (em particular das paredes) e produzir estes produtos a preços acessíveis a famílias de classe média, esclarece a mesma publicação.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.