Para já, o furacão Joaquim está nas Bahamas, onde já causou “inundações menores” e não tem a registar “grandes danos ou vítimas”, segundo escreve o Tribune 242, um jornal local daquele arquipélago. Está na fase 3 (numa escala de 1 a 5, na qual 5 é a mais intensa), o que significa que tem ventos entre os 178 e os 208 quilómetros por hora. Mas o pior pode estar para vir. 

A preocupação maior será para a costa Este dos EUA, onde a densidade populacional é consideravelmente maior do que nas Bahamas e que pode vir a fazer parte da rota deste furacão. Os metereologistas não afastam a hipótese de o furacão atingir a costa Este ainda na fase 3 ou até noutras mais fortes. Ainda assim, mesmo que diminua de intensidade, os resultados podem ser desastrosos.

Segundo os especialistas, há três percursos possíveis para o furacão Joaquim. Um seria uma entrada pela Carolina do Sul e Carolina do Norte no domingo — o que, para acontecer, teria de ser precedido de uma mudança para Oeste a partir das Bahamas e depois uma subida para Norte. Outro cenário possível é uma ascendência a Norte — assim, passaria ao largo de toda a costa Este dos EUA e atingiria a Nova Inglaterra (conjunto de seis estados a Nordeste, cuja maior cidade é Boston) na terça-feira . Por fim, numa previsão mais otimista, existe a possibilidade de o furacão desviar para Este e desaparecer no oceano Atlântico.

De acordo com as novas informações, avançadas pelo Washington Post, o furacão deslocou-se e é provável que a tempestade vá permanecer no mar. Apesar disso, algumas zonas da costa permanecem em risco de inundações. O Centro Nacional de Furacões adverte “que ainda não é possível excluir completamente os impactos diretos ao longo da costa este, e os moradores devem continuar a acompanhar o progresso do Joaquin durante os próximos dias.”

A memória do furacão Sandy, de 2012, ainda está presente: nesse ano, entre o final de outubro e o início de novembro, o furacão de categoria 2 (ventos entre os 154 e os 177 quilómetros por hora) matou de forma direta e indireta 233 pessoas, 157 das quais nos EUA.

Vários estados norte-americanos já entraram em alerta devido ao Joaquim. Na Carolina do Norte, onde se estima que o furacão possa chegar na segunda-feira, o governador, Pat McCrory deu ordens aos órgãos oficiais para se prepararem para um cenário de inundações. Em Nova Jérsia, ao largo de Nova Iorque, foi declarado o estado de emergência e o governador, Chris Christie, que é candidato à liderança do Partido Republicano, já cancelou todos os eventos associados à sua campanha para poder gerir a situação de perto. A Virgínia também já declarou o estado de emergência.