Guatemala

30 mortos e 600 desaparecidos em deslizamento de terras

30 pessoas morreram e 32 ficaram feridas devido a um deslizamento de terras na Guatemala. Há ainda 600 pessoas desaparecidas devido ao desastre natural, que afetou a região de El Cambray II.

As equipas de socorro removem os escombros na região de El Cambray II, à procura de desaparecidos

Captura Twitter "Radio Sonora 96.9 FM"

 

Pelo menos quatro pessoas morreram e outras cem estão desaparecidas na sequência de um deslizamento de terras que danificou cerca de 125 casas nos arredores da Cidade da Guatemala.

O deslizamento ocorreu quinta-feira à noite, na sequência de chuvas intensas na região de El Cambray II, quinze quilómetros a este da capital da Guatemala, revelou David de Leon, porta-voz da coordenação do grupo que está a minimizar os danos, à Agência France Presse.

“Temos 29 cadáveres identificados, e um ainda por identificar”, disse Sergio Cabanas, responsável da Coordenação nacional da luta contra as catástrofes naturais (CONRAD), ao comentar o deslizamento de terras ocorrido na quinta-feira na sequência de chuvas intensas.

Dezenas de funcionários de equipas de resgate, polícias, soldados e pessoas da vizinhança estão a unir esforços para remover os escombros em busca dos desaparecidos.

O porta-voz da coordenação do grupo para minimização de danos referiu ainda que o impacto das chuvas torrenciais foi intensificado por um rio próximo e lembrou que, o ano passado, as autoridades municipais haviam recomendado à população que se afastasse do local.

Antes deste deslizamento, oito pessoas já haviam perdido a vida em incidentes relacionados com a estação das chuvas no país, entre maio e novembro, tendo a estação das chuvas de 2014 causado 29 mortos e danos em mais de 9.000 casas.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)