As dores de costas são um problema para muitos. Um estudo da universidade de Queensland (Austrália), publicado em junho deste ano, mostrou que até 65% da população mundial poderá vir a sofrer de dores de costas em algum momento da sua vida. E Portugal contribui para a estatística já que, segundo os dados da Sociedade Portuguesa de Reumatologia, mais de dois milhões de portugueses sofrem do problema.

Entre os que se debatem com o problema, há quem se vire para práticas medicinais mais convencionais e para práticas alternativas, como a quiroprática – um método que procura atenuar os problemas de coluna, trabalhando a relação entre a coluna e o sistema nervoso dos pacientes. Embora menos convencional, há quem assegure a eficácia do tratamento.

Eficaz, sim, mas não para todos

A quiroprática tem vindo a ser investigada cientificamente, e um estudo recente, publicado na revista Spine, mostra que o método pode mesmo resultar – mas não de forma uniforme para todos os pacientes. É que, segundo os investigadores, só para alguns pacientes é que a quiroprática se revela um tratamento eficaz. Quem o afirma é Greg Kawchuk, co-autor do estudo, ao diário espanhol El Confidencial e ao site LiveScience:

A questão não é se o tratamento funciona ou não, mas sim qual é a melhor forma de tratar de cada paciente. (…) A grande descoberta é que ambos os lados [apoiantes e críticos da quiroprática] estão certos desde o início.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os investigadores estudaram, durante uma semana, três grupos de pessoas: um deles composto por 32 pessoas com queixas de coluna, que receberam dois tratamentos de correção da espinha vertebral, outro com 16 elementos que, tendo queixas semelhantes, não foram submetidos ao tratamento, e ainda um grupo com 59 pessoas sem quaisquer problemas de coluna, com quem os primeiros seriam posteriormente comparados.

Entre as 32 pessoas que receberam os tratamentos de quiroprática, 15 afirmaram sentir-melhor e tiveram melhorias objetivas na hidratação do disco intervertebral e na rigidez das vértebras. Os números aproximaram-se, inclusivamente, dos valores evidenciados pelo último grupo, composto em exclusivo por pessoas sem problemas de coluna.

O porquê do tratamento resultar com alguns pacientes e não com outros é ainda desconhecido. Esse deverá ser o foco das próximas investigações sobre esta técnica medicinal, que alguns ainda rejeitam mas que se comprova resultar com alguns pacientes.

Um dos casos de sucesso do tratamento que chegou à Internet é o de Muntathar Altaii, um jovem norte-americano que se lesionou gravemente quando tentava arrancar um tronco de uma árvore no jardim de sua casa. O jovem, que deixou de sentir a perna esquerda e de conseguir caminhar direito, deslocou-se à Austrália para ser tratado por Ian Roosborough, um especialista em quiroprática. O vídeo do processo, que se revelou bem-sucedido, tornou-se viral, e pode ser visto abaixo.

https://www.youtube.com/watch?v=5Xa7a_CUspQ