Comer fruta é parte integrante de uma dieta saudável, disso ninguém duvida. Mas quando pensamos em fazer dieta com o objetivo de perder peso, um dos frutos que habitualmente evitamos são as bananas, sobretudo pelo seu teor de açúcar. Já da lista de frutos a preferir e a manter, as maçãs parecem gerar unanimidade. Certo? Mais ou menos.

É que há maçãs e maçãs. E nem todas são iguais, dizem os autores de um estudo publicado no International Journal of Preventive Medicine, refere o The Guardian.

Os investigadores analisaram o efeito sobre a saúde do coração de adicionar uma maçã da variedade “Golden Delicious” à dieta diária de um pequeno grupo de homens com excesso de peso. E no final do período experimental de oito semanas, os homens apresentaram níveis mais elevados de colesterol LDL e de triglicéridos, colocando-os em maior risco de doença cardíaca.

Os investigadores concluíram que estes resultados, que parecem contra-intuitivos, se deveram à variedade de maçã escolhida.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As maçãs “Golden Delicious” apresentam um teor de açúcar elevado e um teor mais baixo de polifenóis – as substâncias antioxidantes que previnem a oxidação do organismo e contribuem para a prevenção das doenças cardiovasculares, da obesidade e da diabetes e ajudam à acção anti-inflamatória – do que outros tipos deste fruto.

As “Golden Delicious” contêm até 75 por cento menos polifenóis do que outras variedades de maçãs.  E em alguns “novos” tipos de maçãs – produzidas por cruzamento de variedades -,  o teor de açúcar é cerca de 80 por cento superior, fazendo com que algumas tenham quase um quinto de açúcar puro (aproximadamente duas vezes mais açúcar que um refrigerante).

Com estatísticas como estas, saber que variedades escolher faz uma grande diferença em termos nutricionais. As variedades “Gala” e “Pink Lady” têm mais açúcar do que as “Granny Smith”, por exemplo.