A Mercedes conquistou neste domingo o título de campeã mundial de construtores de Fórmula 1, a quatro corridas do final do campeonato, devido à penalização aplicada ao finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, no Grande Prémio da Rússia.

No autódromo de Sochi, onde Lewis Hamilton, da Mercedes, obteve a nona vitória da temporada, Raikkonen foi o quinto a corta a meta, mas foi castigado ‘a posteriori’ com uma paragem de 10 segundos nas ‘boxes’, que se converteu em penalização de 30 segundos e consequente perda de três posições, por ter provocado um acidente com o compatriota Valtteri Bottas (Williams) na última volta.

Deste modo, a Ferrari somou apenas quatro pontos, em vez de dez, e a Mercedes, com 531 pontos, passou a ter uma vantagem de 172 sobre a Ferrari, que ainda pode anular a diferença se fizer ‘dobradinha’ nas quatro provas restantes e se a Mercedes não pontuar, mas o número de vitórias da escuderia alemã (11) já não pode ser alcançado assegura-lhe o título de imediato.