479kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Estado Islâmico: Mais de mil peças de propaganda em 30 dias

Este artigo tem mais de 5 anos

Fotografias, vídeos, declarações em áudio e em vídeo, boletins de rádio, revistas, panfletos ou tratados teológicos. O Estado Islâmico utiliza várias frentes para disseminar a propaganda em massa.

Segundo a investigação, os principais temas da propaganda do EI são vida civil e assuntos militares
i

Segundo a investigação, os principais temas da propaganda do EI são vida civil e assuntos militares

Segundo a investigação, os principais temas da propaganda do EI são vida civil e assuntos militares

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em apenas 30 dias, o  Estado Islâmico (EI) lançou 1.146 peças de propaganda, entre ensaios fotográficos, vídeos, declarações em vídeo e em áudio, boletins de rádio, revistas, panfletos ou tratados teológicos. A análise é de Charlie Winter, que decidiu investigar a propaganda utilizada pelo EI, segundo informa a BBC.

Entre 17 de julho e 15 de agosto, Winter dedicou duas horas, todos os dias, a estudar a rede de apoio árabe do EI no Twitter, explorando as diferentes formas de propaganda e utilizando combinações dos diferentes hashtags do grupo.

A partir do total de peças identificadas, foram eliminados os conteúdos duplicados, como aqueles que eram divulgados simultaneamente em áudio e texto. Como resultado, o investigador totalizou 892 eventos na sua investigação.

Os gráficos a seguir mostram os tipos de peças de propaganda do EI por tema.

A estratégia mediática do Estado Islâmico, diz Winter, é “produzir, produzir, produzir”. Porque, explica, ao criarem tantos conteúdos, os responsáveis pela comunicação do grupo terrorista tentam evitar que entendamos o que estão a fazer: aterrorizar os adversários e, simultaneamente, atrair os curiosos e vulneráveis.

Charlie Winter decidiu investigar a propaganda utilizada pelo EI, depois de se cruzar com um vídeo que o perturbou: uns adolescentes estavam em fila, de joelhos, em frente a 25 soldados alegadamente do grupo de Bashar al Asad. Os míudos apontavam as suas pistolas às nucas dos soldados. O cenário? Tudo se passava no Teatro Romano de Palmira. Apesar de estar acostumado à violência extrema do EI, este vídeo era diferente para Charlie porque tinha estado ali mesmo, no teatro de Palmira, com a família, há cinco anos. Não conseguia deixar de pensar nas crianças utilizadas para executar homens, e decidiu estudar a propaganda que grupo terrorista utiliza.

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.