Mundo

O bico de pássaro que vale mais do que os dentes de elefante

122

O calau-de-capacete possui uma espécie de capuz, do bico ao crânio, que pode valer mais do que o marfim. E por isso milhares destas aves são mortas todos os anos.

O capacete do Rhinoplax Vigil pode valer mais do que o marfim dos elefantes

sciencephotolibrary

Mais sobre

O Rhinoplax Vigil é um dos pássaros mais valiosos do mundo. E por isso está em vias de extinção. Porque o seu bico pode ser mais valioso do que o marfim dos dentes de elefante.

Esta ave é também conhecida como calau-de-capacete. Sendo que calau é o nome dado às aves pertencentes ao grupo dos Bucerotiformes, conhecidos igualmente como bicos-de-corno ou bicos-de-serra. Este grupo de aves é composto por cerca de 50 espécies, que habitam, normalmente, em zonas tropicais. A sua característica principal é o bico pronunciado, em forma de corno, que se estende até ao crânio.

É o caso do calau-de-capacete, que habita na Malásia e na Indonésia. Uma ave de grande porte que pesa à volta de 3 quilos, sendo que o seu “capacete”, que se estende ao longo do crânio, é responsável por 11% do seu peso total.

Como conta a BBC, o capacete é utilizado pelos machos para lutar uns com os outros, e tanto machos como fêmeas utilizam-no para retirar insetos em troncos de árvores em decomposição. Possuem um tamanho até 2 metros e são conhecidos como “os agricultores da floresta” devido ao importante papel na distribuição de sementes através das suas fezes.

Segundo Noriku Tsuchiya, curador da da secção japonesa do Museu Britânico, “infelizmente desde o princípio do século XX o calau-de-capacete tornou-se muito raro por causa da caça e agora o comércio legal é limitado a antiguidades certificadas.” Isto porque durante centenas de anos o artesanato chinês utilizou este material para criar artefatos e o Japão para fazer os cintos presentes nos tradicionais kimonos.

Apesar de ser ilegal, o “marfim” deste pássaro pode chegar a valer mais de 5 mil euros o quilo, o que leva os contrabandistas a arriscar a pena de prisão para capturar as aves. Um problema semelhante atingiu, e continua a atingir, os elefantes, mas Hadiprakarsa avisa que se “ninguém prestar atenção, o pássaro vai-se extinguir.”

Doug Janson

Doug Janson

É complicado observar estes animais. Mas não ouvi-los. A banda sonora das florestas das ilhas de Sumatra e do Bornéu é quase totalmente preenchida pelos sons destas aves.

Apesar de se manterem escondidos e discretos, milhares destes pássaros são mortos devido ao seu “capacete”, que pode valer mais do que o marfim dos dentes de elefante. Entre 2012 e 2014 foram confiscados mais de 1.000 exemplares a contrabandistas só na província de Kalimantan na Indonésia. Como diz à BBC Yokyok Hadiprakarsa, um investigador desta espécie, estima-se que cerca de 6 mil pássaros morram  todos os anos na Ásia Oriental.

O calau-de-capacete tem também uma importância simbólica. Isto porque é o símbolo oficial das províncias indonésias de Kalimantan Ocidental e do povo do Bornéu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PGR

Estão a gastar a nossa herança!

Gonçalo Pistacchini Moita
269

Muitos de nós julgam saber o que levou António Costa a propor a substituição da Procuradora Geral da República. Poucos saberão, de facto, o que levou Marcelo Rebelo de Sousa a aceitá-la. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)