Numa entrevista à TIME, Hillary Clinton falou abertamente sobre Carly Fiorina, também ela candidata à Casa Branca — a única mulher entre homens do lado republicano –, e sugeriu que Fiorina não deverá ser tratada de forma diferente dos restantes candidatos apenas por ser mulher.

“Eu sou, sempre, a favor das candidaturas de mulheres. Mas os eleitores, republicanos ou democratas, devem olhar, primeiro, para as políticas dessas mulheres e ver quais as suas respostas para os problemas do país. E devem fazê-lo antes de se decidirem a apoiá-las. Eu tento fazer por merecer cada voto. Todas as mulheres que se candidatem à presidência devem fazer o mesmo”, declarou Hillary.

É a primeira vez que a candidata democrata fala de Fiorina, assumindo nesta entrevista “discordar” dela num “enorme número de ideias”. O mesmo não se pode dizer de Carly Fiorina, que tinha, em fevereiro, atacado a candidatura de Hillary.

“Ela tweeta sobre os direitos das mulheres no país. Ela tweeta sobre os ordenados, que, diz, devem ser iguais entre mulheres e homens. Só não responde às questões sobre os pagamentos [desiguais] no seu próprio gabinete — nem Obama o faz. A Hillary gosta de hashtags. Mas sobre liderança ela não sabe nada”, acusou, então, Fiorina.