Chama-se O Papiro de César e é o próximo álbum da coleção Astérix e Obelix, que chega às livrarias portuguesas já no dia 22 deste mês de outubro. O novo livro traz aventuras, desta vez, centradas nos novos caminhos da informação, da comunicação e das redes sociais. Nesta edição, há novas personagens, bem conhecidas da atualidade, como o fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

Não há muitos detalhes sobre a história, mas revelamos aqueles que sabemos: Júlio César pensa numa nova estratégia para conquistar a única aldeia gaulesa que “resiste agora e sempre ao invasor” — a comunicação. É aqui que entra Pero Doublepolémix, o jornalista gaulês inspirado em Assange, que não acredita nas notícias difundidas pelos romanos. Bonuspromoplus será o conselheiro de César, o já conhecido vilão das aventuras.

A história, dos autores Jean-Yves Ferri e Didier Conrad, foi apresentada esta segunda-feira em Paris. Albert Uderzo, já com 88 anos, um dos criadores originais da BD, também participou na apresentação. O Papiro de César é o 36.º álbum da série e terá uma tiragem de dois milhões de exemplares em francês, mais outros dois milhões em outras 20 línguas, como o português, ou idiomas como o mirandês, que terá a sua própria edição.

O álbum anterior, Astérix e os Pictos, editado em 2013, também chegou pelas mãos de Ferri e Conrad, e foi o primeiro no qual Uderzo não participou. O primeiro livro, Astérix, o Gaulês, saiu em 1961 e inaugurou uma das mais bem sucedidas séries de BD de sempre, com mais de 350 milhões de livros vendidos em todo o mundo. A parceria entre Uderzo e Goscinny, os criadores originais, acabou em 1977, com a morte do argumentista. Mas o nome de ambos aparece sempre na assinatura dos livros.