439kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Somos felizes? 12 gráficos para entender como vai a vida em Portugal

Este artigo tem mais de 5 anos

A OCDE divulgou esta semana os resultados de um estudo em que avalia o bem-estar das pessoas em diversos países do mundo a partir de 11 parâmetros. O resultado geral de Portugal? De 0 a 10, 5,1.

A OCDE utiliza 11 parâmetros para medir o grau de satisfação das pessoas com as suas vidas
i

A OCDE utiliza 11 parâmetros para medir o grau de satisfação das pessoas com as suas vidas

Getty Images

A OCDE utiliza 11 parâmetros para medir o grau de satisfação das pessoas com as suas vidas

Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Qual é o segredo da felicidade? A pergunta é subjetiva e filosófica e já inspirou diversos filmes, livros e músicas daqueles que acreditam ter a resposta para esta pergunta ou que apenas ponderam a complexidade da questão. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) tentou tornar a discussão mais objetiva e elaborou um estudo chamado”‘How´s life? 2015″, com o qual avalia o bem-estar das pessoas nos 34 países que fazem parte da organização, além do Brasil e Rússia, com o fim de entender quais são os aspetos mais importantes para a qualidade de vida da população.

Foram utilizados 11 parâmetros para medir o grau de satisfação das pessoas com as suas vidas: compromisso cívico, comunidade (relações sociais), nível de riqueza e rendimentos, morada, emprego, equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, meio ambiente, educação, segurança, satisfação pessoal e saúde. Os dados foram compilados a partir de estudos da OCDE, das estatísticas das Nações Unidas e de institutos nacionais de estatística e os resultados finais foram disponibilizados num site interativo, onde é possível saber a nota de cada país e compará-los entre si.

E o que diz o “‘How´s life? 2015” sobre Portugal? “De maneira geral, os portugueses estão menos satisfeitos com as suas vidas do que a média da OCDE. Quando questionados sobre a sua satisfação em geral com a vida, numa escala de 0 a 10, os portugueses consideram que estão no nível de 5,1, abaixo da média da OCDE de 6,6”, afirma a publicação. O país está acima da média dos outros países investigados no parâmetro habitação, mas abaixo da média na rendimento e riqueza, saúde, comunidade, compromisso cívico, educação, satisfação pessoal e emprego.

Em relação ao indicador que considera mais importante para definir a sua qualidade de vida, saúde (10,5%), bem-estar pessoal (10,1%) e segurança (9,9%) lideram as preferências dos portugueses entrevistados, enquanto o compromisso cívico (7%) e a comunidade (8%) foram as respostas menos apontadas. No caso específico desta pergunta, as respostas foram enviadas voluntariamente através do site OECD Better Life Index no período entre maio de 2011 e abril de 2015.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Observador compara os resultados de Portugal com os outros países incluídos no estudos a seguir.

Habitação

De acordo com o relatório da OCDE, as famílias portuguesas gastam, em média, 19% do rendimento bruto ajustado disponível para manter a casa em que vivem, um pouco acima da média da OCDE de 18%.

Rendimento e riqueza

No país, a média do rendimento líquido ajustado disponível por família per capita é de 20.086 dólares por ano, menor do que a média da OCDE de 25.908 dólares.

Emprego

Os trabalhadores portugueses enfrentam uma probabilidade de 8,6% de perderem seus empregos, acima da média da OCDE de 5,43%.

Comunidade

Solidão? Não em Portugal. Segundo a OCDE, 86% dos portugueses acreditam conhecer alguém com quem poderiam contar num momento de necessidade. No entanto, o valor está abaixo da média da OCDE de 88%.

Educação

O Programa da OCDE de Avaliação Internacional do Aluno (PISA) examina até que ponto os alunos adquiriram conhecimento e habilitações essenciais na educação. O aluno mediano em Portugal de 15 anos obteve pontuação de 488 em leitura, matemática e ciências – menos que a média da OCDE de 497.

Meio ambiente

A OCDE alerta: os impactos da poluição atmosférica urbana sobre a saúde continuam a piorar no mundo. Os níveis de poluição atmosférica em áreas urbanas da organização são de 20,1 microgramas por metro cúbico. Em Portugal, o valor é de 18,1.

Compromisso cívico

O relatório “‘How´s life? 2015” utilizou os dados da abstenção nas eleições europeias de 2014 para determinar o nível de envolvimento das populações. Neste indicador, Portugal teve uma taxa de 58% de participação eleitoral, abaixo da média da OCDE de 68%.

Saúde

A pergunta era “Como está a sua saúde geral?” e foi utilizada como uma espécie de antecipação do uso futuro de assistência médica por parte dos indivíduos. Neste sentido, 46% das pessoas em Portugal disseram que a saúde estava boa, menos do que a média da OCDE de 68%. Este foi um dos piores resultados do país no relatório.

Satisfação pessoal

De 0 a 10, como classificaria a sua satisfação com a vida? Os portugueses entrevistados deram como nota média 5,1, uma das mais baixas pontuações da OCDE, cuja média foi de 6,6.

Segurança

De acordo com os últimos dados da OCDE, a taxa de homicídios de Portugal é de 1,1, abaixo da média da OCDE de 4,0.

Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal

Um dos parâmetros utilizados pela organização medir o equilíbrio que as pessoas dão ao binómio trabalho/vida pessoal é o tempo dedicado ao lazer e ao cuidado pessoal. Neste aspeto, os portugueses passam cerca de 14,95 horas por dia a fazer outras coisas não relacionadas ao trabalho, próxima à média da OCDE de 14,97.

Loja Observador Lifestyle

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.