O teste de mísseis anunciado pelo Irão, no fim de semana, terá violado uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, informou o Departamento de Estado dos EUA, segundo a Reuters.

“Temos fortes indícios de que este teste de míssil violou uma resolução do Conselho de Segurança”, declarou Josh Earnest, porta-voz da Casa Branca. “Obviamente que vamos levar esta questão ao Conselho de Segurança da ONU, como fizemos em lançamentos anteriores”, defendeu o porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, realçando o facto de este teste de mísseis poder ter violado a resolução 1929 de segurança da ONU.

Os testes de mísseis balísticos do Irão são proibidos nos termos da Resolução 1929 do Conselho de Segurança que data de 2010. A Casa Branca explicou, no entanto, que a suposta violação são um tema separado do programa nuclear que o Irão alcançou com as potências mundiais, em julho.

Segundo a Reuters, o porta-voz, Josh Earnest explicou ainda que “em forte contraste com as supostas violações (das resoluções) do Conselho de Segurança da ONU relacionadas com seus mísseis balísticos, comprovamos que nos últimos dois anos o Irão respeitou os compromissos que adquiriu no âmbito das negociações nucleares”.

O Irão possui vários tipos de mísseis de longo alcance e já garantiu que os seus mísseis são puramente defensivos, não estando por isso integrados em nenhuma resolução da ONU. “Não pedimos permissão a ninguém para aumentar a nossa capacidade defensiva e balística, e continuaremos com o nosso programa (…) com determinação”, disse o ministro da Defesa do Irão , Hossein Dehghan, citado pela AFP.