“Johnny Guitar”

Na sequência da estreia, na semana passada, do documentário de Manuel Mozos “João Bénard da Costa: Outros Amarão as Coisas que eu Amei”, repõe-se agora o western de culto (ou “falso western”, como lhe chamou François Truffaut) realizado por Nicholas Ray em 1954, com Joan Crawford e Sterling Hayden. Era um dos filmes de eleição de Bénard, que numa Folha da Cinemateca diz tê-lo visto “68 vezes entre 1957 e 1988”, acrescentando: “Dá para saber de cor? Nunca se sabe o ‘Johnny Guitar’ de cor. Cada vez é uma nova vez”.

“Um Momento de Perdição”

Jean-François Richet assina este remake de “Um Momento de Desvario”, realizado em 1977 por Claude Berri. Dois melhores amigos quarentões (Vincent Cassel e François Cluzet) vão passar as férias de verão à Córsega com as duas filhas adolescentes, e uma destas envolve-se com o pai da outra. Esta nova versão é muito menos atrevida, erótica e libertina do que a original, e é rematada por um fim “moral”, ao contrário do daquela. Ou o politicamente correcto a mandar também no cinema francês.

“Pan: Viagem à Terra do Nunca”

O cinema não se cansa de minerar o filão da história de Peter Pan. Este filme de Joe Wright (“Expiação”, “Anna Karenina”) em 3D conta a história da origem de Peter Pan e de como ele chegou à Terra do Nunca, depois de ter sido abandonado pela mãe num orfanato de Londres dirigido por uma mulher má como as cobras. O jovem actor australiano Levi Miller interpreta Peter Pan, acompanhado por Hugh Jackman, Garrett Hedlund, Rooney Mara e Amanda Seyfried.

“Sicario”

O novo e palpitante filme do canadiano Denis Villeneuve, o realizador de “Raptadas”, envolve uma agente do FBI (Emily Blunt) numa operação clandestina do governo dos EUA, para capturar, no México, o líder de um cartel da droga. Este filme foi escolhido pelo Observador como a estreia da semana e pode ler a crítica aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR