Uma criança de 14 anos foi presa no México por matar um homem, depois de receber a proposta no Facebook: se cometesse o crime receberia cerca 1.600 euros (31 mil pesos mexicanos).

“A criança disse ter sido contactada por alguém no Facebook”, afirma o coordenador de investigações especiais na Baixa Califórnia, Miguel Angel Guerrero à Agence France-Presse. Depois, combinaram encontrarem-se numa estrada principal. Ali, o miúdo entrou no táxi onde estavam os criminosos e partiram para uma zona de bares e de tráfico de drogas: “Deram-lhe uma arma e apontaram para a pessoa que ele tinha de matar”, conta Guerrero.

A vítima tinha 35 anos. A criança saiu do táxi, andou na sua direção e deu-lhe um tiro na cabeça com uma pistola Calibre 40.

O adolescente foi apanhado no sábado, quando tentava sair da cena do crime no noroeste de Tijuana (que faz fronteira com a Califórnia), e depois levado para tribunal disseram as autoridades locais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os cartéis de drogas mexicanos são conhecidos por recrutarem menores para serem os seus “halcones” (falcões), ou vigias – avisam-nos dos movimentos da polícia ou de alguém suspeito.

E não é a primeira vez que crianças cometem crimes violentos no México. Em março, um miúdo de 13 anos foi preso no norte de Monterrey porque tinha uma AK-47, uma pistola, munições e drogas. Em dezembro de 2010, uma criança americana, de 14 anos, foi presa porque tinha sido convencida a trabalhar para um gangue de droga. O jovem admitiu ter matado quatro pessoas. O rapaz, conhecido por “El Ponchis”, foi libertado em 2013, já com 17 anos. Viajou para o Texas para ir viver com a sua mãe, conta a AFP.