As autoridades palestinianas enviaram nesta quarta-feira ao secretário-geral da ONU e ao Conselho de Segurança uma carta a pedir para atuarem “imediatamente” para acabar com as “violações à legislação internacional” cometidas por Israel. “Não há dúvida de que a situação piora de dia para dia”, referiu o representante palestiniano na ONU, Riyad Mansur, em carta enviada ao Conselho de Segurança.

Na carta, o embaixador detalhou os vários episódios violentos ocorridos nos últimos dias e recordou que, segundo Ministério da Saúde palestiniano, 30 palestinianos foram mortos pelas forças de defesa israelitas. O diplomata também denunciou a decisão de Israel de colocar novos postos de controlo e barreiras em bairros árabes e assegurou que se trata de uma forma de “castigo coletivo” que viola a legislação internacional.

Riyad Mansur insistiu com o Conselho de Segurança da ONU para tomar medidas, considerando a situação “perigosa” e uma “ameaça para a paz e segurança internacionais”.

“A comunidade internacional deve assegurar que garante proteção internacional aos palestinianos para os proteger de mais perdas e sofrimento”, sublinhou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR