Primeiro o sexo, depois a comida. Cada um tem as suas prioridades e as do género masculino seguem mesmo esta hierarquia. Pelo menos é o que sugere o estudo publicado na Nature: no que diz respeito à biologia, o cérebro masculino pode estar “desenhado” para dar mais importância ao sexo e só depois aos alimentos, pelo menos no caso de Caenorhabditis elegans (um nemátode transparente). Nos machos existem dois neurónios específicos, que não existem nas fêmeas, que condicionam as diferenças de aprendizagem, mas que também faz com que os machos desta espécie primeiro escolham sexo e só depois comida.

Para a análise, os investigadores da University College London, estudaram vermes microscópios com o cérebro mais simples conhecido já que os mecanismos de funcionamento podem servir de base aos que atuam nos humanos: “Apesar do estudo ter sido feito com vermes, dá-nos uma perspectiva que nos ajuda a analisar e possivelmente a perceber a variedade da sexualidade humana, orientações sexuais e identificação de género”, disse ao The Telegraph Scott Emmons, co-autor da pesquisa.

“Mesmo não tendo analisado humanos, é possível que o cérebro masculino tenha este tipo de neurónios que o cérebro feminino não tem, e vice-versa. Isto pode mudar como os dois sexos vêem o mundo e as suas prioridades comportamentais”, acrescentou.