O Conselho Intermunicipal Terras de Trás-os-Montes manifestou hoje confiança nos produtos de fumeiro regional, após uma reunião que juntou os nove autarcas que integram aquele organismo em Mogadouro.

Segundo um documento enviado à agência Lusa, esta posição surge depois de, no final de setembro, a Direção Geral de Saúde ter emitido um comunicado a informar que as autoridades tinham registado três casos de botulismo alimentar e que, após investigação, tinham decidido retirar de imediato do mercado os produtos à base de carne, concretamente alheiras, e os queijos da marca “Origem Transmontana”.

Esta empresa foi criada para comercializar e distribuir produtos da região, desde fumeiro, compotas e queijos, comprados a produtores ou de produção própria e vendidos com a marca “Origem Transmontana”.

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Terras de Trás-os-Montes manifestou, por outro lado, o seu desagrado pela “facilidade” com que se procede ao registo de marcas comerciais com recurso a designação do território, permitindo a sua utilização, por vezes de forma “negligente”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo disse o presidente da CIM trasmontana, Américo Pereira, vão ser promovidas com “caráter de urgência” reuniões com órgãos do Governo, direções gerais e Comissão de Coordenação Regional do Norte, entre outras.

O botulismo alimentar é uma doença grave de evolução aguda e é desde 1999 de declaração obrigatória em Portugal, tendo-se registado até 2013 menos de uma centena de casos.