290kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Hello, hola, nǐ hǎo! A vida nos países mais multilingues do mundo

Este artigo tem mais de 5 anos

Nestas cidades falam-se centenas de línguas, mas toda a gente se entende. Entre o inglês e as línguas nativas, esta é a vida de quem mora nos países mais multilingues do mundo.

i

AFP/Getty Images

AFP/Getty Images

Os países com maior número de línguas são a Papua Nova Guiné, a Indonésia, a Nigéria, a Índia e… os Estados Unidos. Esta é a contagem da Ethnologue, uma base de dados sobre a linguagem verbal em todos os países do mundo. Nestes cinco falam-se pelo menos 300 línguas. Em Portugal… existem dez, segundo esta plataforma.

Como será a vida numa cidade onde se falam tantas línguas diferentes? A BBC quis saber e conversou com alguns habitantes destes países, onde aprender a comprar fruta pode exigir um esforço muito maior. Eis os seus relatos.

Port Moresby, Papúa Nova Guiné

PORT MORESBY, PAPUA NEW GUINEA - MAY 10: Traditional dancers perform ahead of the arrival of Australian Prime Minister Julia Gillard and Papua New Guinea Prime Minister Peter O'Neill at Parliament House on May 10, 2013 in Port Moresby, Papua New Guinea. The three-day visit is a chance for the two nations to strengthen economic ties, with talks being held on key issues including, trade, military defense, and the controversial Australian detention center on Manus Island.The trip is the first official visit for Prime Minister Julia Gillard to the Pacific Island Nation and the first visit since former prime minster Kevin Rudd visited in 2007. (Photo by Chris McGrath/Getty Images)

Papúa Nova Guiné. Créditos: Chris McGrath/Getty Images

Naquele canto da Oceânia falam-se 851 línguas. É o país do mundo com maior número de línguas faladas, das quais 839 estão ativas e apenas 37 estão em situação de extinção.

Mas como se consegue uma diversidade linguística tão grande? O segredo está na terra. Literalmente: a Papúa Nova Guiné está localizada num vale de difícil acesso, o que permitiu preservar muita da sua identidade original que era, já por si, muito variada. Ultimamente, o país tem recebido muita gente de comunidades próximas em busca de trabalho. E esses contribuem ainda mais para a criação de novas formas de expressão.

Como comunicam os habitantes neste país? Em inglês, maioritariamente. Mas há um crioulo chamado”tok pisin”, também muito presente na Papúa Nova Guiné, e que resultou da mistura dos dialectos deste país com o inglês.

Clara Raven deixou Londres para trás e fixou-se na Papua Nova Guiné. Diz que “aquilo a que te expões aqui muda a tua vida, é um lugar único para viver”. E que o crioulo é de “fácil compreensão”.

Jacarta, Indonésia

In this photograph taken on January 27, 2013, the Jakarta skyline is seen at dusk. Indonesia is expected to grow 6.3 percent in 2013 after expanding this year by 6.1 percent, the World Bank said in their December 18, 2013 report. AFP PHOTO / ROMEO GACAD (Photo credit should read ROMEO GACAD/AFP/Getty Images)

Indonesia. Créditos: ROMEO GACAD/AFP/Getty Images

Num país com cerca de 250 milhões de habitantes, só a capital consegue ter mais habitantes do que Portugal inteiro. Tem uma demografia variada, muito turismo e um vasto património cultural. Tudo isto contribuiu para as 719 línguas faladas no país, entre as quais 706 continuam “vivas”.

A geografia é muito semelhante à da Papua Nova Guiné e isso contribui para a diversidade linguística da Indonésia. Tem 17 mil ilhas e em muitas delas falam-se dialetos próprios, que chegam às sete centenas.

Quem descreve o ambiente cultural da Indonésia é Peter Richie, um jovem nascido neste país, com ascendência chinesa. Eis o adjetivo que escolhe: “Refrescante”. A cultura evolui em função das línguas e isso é algo que a população parece apreciar. Brett McGuire, um neozelandês imigrante, confirma esta descrição e acrescenta: “É uma cidade muito vibrante e dinâmica. Se estiver disposto a sair da sua zona de conforto, passarás muito bem”.

O inglês é que não é tão comum como na vizinha Papua Nova Guiné. Se quiser explorar a Indonésia, o melhor é aprender as bases do indonésio, que os imigrantes entrevistados dizem não ser tão fácil como os naturais do país. Mas o esforço vai valer a pena, até porque os habitantes vão valorizar as suas tentativas.

Lagos, Nigéria

People walk struggling for space between public transport buses and trucks at the burstling Oshodi bus stop in Lagos 06 February 2006. Lagos is reputed as one of the mostly densely populated city in the world with population more than 14 million. AFP PHOTO/PIUS UTOMI EKPEI (Photo credit should read PIUS UTOMI EKPEI/AFP/Getty Images)

Nigéria. Créditos: PIUS UTOMI EKPEI/AFP/Getty Images

Quinhentos grupos étnicos, 527 idiomas nigerianos. E muitas deles não estão limitados aos pequenos territórios pouco explorados, são falados nas grandes cidades, como Lagos. A imigração também contribui para esta variedade, já que à capital nigeriana chegam vários povos imigrantes.

O inglês é a língua mais falada, mas grande parte das pessoas sabe mais do que um idioma. É o que explica Idowu Koyenikan, que saiu da Nigéria e se fixou nos Estados Unidos. E três das mais reconhecidas são o hausa, o yoruba e o igbo. É importante que se domine pelo menos uma delas, para que possa estar confortável nos mercados. Os falantes de igbo são os mais representados no comércio tradicional local, portanto é sempre uma mais-valia.

Deli, Índia

DELHI, INDIA - OCTOBER 27: A woman begs for alms as Indian Muslims mingle after Eid al-Adha prayers at Jama Masjid on October 27, 2012 in New Delhi, India. Eid al-Adha, also known as the Feast of Sacrifice, commemorates Abraham's willingness to sacrifice his son as an act of obedience to God, who in accordance with tradition then provided a lamb in the boy's place. (Photo by Daniel Berehulak/Getty Images)

Índia. Créditos: Daniel Berehulak/Getty Images

A Índia dos 1,2 mil milhões de habitantes não podia faltar nesta lista. Existem 461 línguas e a esmagadora parte delas é ouvida frequentemente nas grandes cidades, como Deli. Muitas nasceram da fusão de outras línguas nativas, como o hindi, o urdo e o punjabi. O inglês, claro, também tem uma presença muito forte.

Para quem se quer lançar à aventura e conhecer novas culturas, a Índia é o país perfeito: “Onde quer que vás na cidade há gente de todas as partes, de estados diferentes, que falam línguas diferentes”, explica Sayani Ghosh. Também aqui é importante aprender os idiomas locais, para facilitar a comunicação nos mercados, que são gigantescos e “caóticos”.

Los Angeles, Estados Unidos

The Los Angeles skyline is seen during twilight on August 21, 2013 in California. AFP PHOTO /JOE KLAMAR (Photo credit should read JOE KLAMAR/AFP/Getty Images)

Estados Unidos da América. Créditos: JOE KLAMAR/AFP/Getty Images)

Foi a cidade escolhida para a descrição da BBC e não é difícil entender porquê: Los Angeles é uma das cidades mais heterogéneas dos Estados Unidos da América, muito graças à entrada de população vinda da América Latina. Os países asiáticos, do outro lado do Pacífico, também chegam à procura do sonho americano e contribuem para a variedade linguística de LA.

Falam-se, acredite, 227 idiomas devido a este fenómeno da imigração. “É comum que as pessoas falem duas ou três línguas em Los Angeles, do sueco ao coreano, passando pelo francês”, explica Chris Lu, que gere um restaurante nesta cidade. É tanta a confusão que se torna difícil distinguir os idiomas, conta ele.

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.