O Remix Ensemble, agrupamento de música contemporânea da Casa da Música com mais de 350 concertos e 11 discos no currículo, comemora 15 anos na próxima terça-feira com a estreia mundial póstuma de “Un calendrier révolu”, de Emmanuel Nunes.

O concerto de terça-feira na sala Suggia da Casa da Música, no Porto, vai incluir também a estreia mundial de uma nova obra para ensemble do Jovem Compositor em Residência Nuno da Rocha, o segundo andamento da Sinfonia n.º1 de Gustav Mahler e a obra “Concertini”, de Helmut Lachenmann.

“Em concerto de aniversário, e sob a direção do seu maestro titular Peter Rundel, o agrupamento de música contemporânea da Casa da Música tem a honra de fazer a estreia mundial póstuma de ‘Un calendrier révolu’, de Emmanuel Nunes, compositor para sempre associado à história do Remix”, pode ler-se na informação divulgada pela Casa da Música.

O programa do espetáculo refere que “‘Un calendrier révolu’ permaneceu um esboço avançado”, tendo a partitura para a estreia de terça-feira sido “preparada por João Rafael, baseado no manuscrito autógrafo e em indicações de execução técnica oriundas de outras obras do mesmo período criativo de Emmanuel Nunes”.

“Em 2012, pouco antes de falecer, Emmanuel Nunes autorizou a execução da primeira parte desta obra — obra que até então não tinha considerado inteiramente satisfatória e que sempre pretendeu retrabalhar. Parte da insatisfação do compositor derivava, não da substância musical mas, provavelmente, de alguns aspetos da notação gráfica utilizada, que deixa em aberto algumas decisões de execução e interpretação. O trabalho de notação realizado por João Rafael, seguindo o mais fielmente possível as indicações do manuscrito, parece resolver a maioria desses problemas, permitindo-nos finalmente ouvir esta composição”, acrescenta o programa.

Desde 2000, o Remix Ensemble atuou em palcos tão distintos como os de Lisboa, Monte-Carlo, Paris, Zurique, Viena, Reggio Emilia, entre muitos outros, tendo apresentado em estreia mundial mais de 85 peças.

A 20 de outubro de 2000, o Remix Ensemble estreava-se no auditório da Universidade de Aveiro sob direção de Stefan Asbury, com um programa que ia de Frank Zappa a Morton Feldman, passando por Edgar Varèse e Charles Ives, antes de terminar com John Adams.