Cinema

As 10 piores longas-metragens até agora

107

De um ou dois filmes maus todos nos lembramos. Mas há muitos. Confira a lista das 10 piores longas-metragens segundo a avaliação dos leitores do IMDB.

ABDULLAH DOMA/AFP/Getty Images

Autor
  • Elsa Araújo Rodrigues
Mais sobre

O portal de cinema IMDB compilou a lista das dez piores longa-metragens de sempre. O rol inclui  de tudo um pouco: há bollywood e filmes de animação, há tubarões e zombies, mas também Titanic e Natal. Aqui fica a lista, também publicada pelo El Mundo:

  1. Kartoffelsalat (2015)

O título significa, literalmente, salada de batata. O enredo – escrito a quatro mãos por Michael David Pate, que também realiza a película e Torge Oelrich –  mete um youtuber adolescente, uma cantina escolar, um mortífero vírus zombie e baba, muita baba azul. Suficiente como teaser? Falta um detalhe: passa-se na Alemanha (e é falado em alemão).

2. Jurassic Shark (2012)

É um filme canadiano independente realizado por Brett Kelly. A película pretende ser uma paródia a dois dos filmes mais conhecidos de Steven Spielberg, o Tubarão e Parque Jurássico. Uma companhia petrolífera liberta acidentalmente um tubarão pré-histórico da sua prisão de gelo. O argumento, escrito por David A. Lloyd e Trevor Payer, revela também que a criatura ataca um grupo de ladrões e um outro de estudantes universitárias, ambos presos numa ilha deserta.

3. Titanic – La leggenda continua (2000)

Este filme de animação italiano retrata a história do Titanic em versão animada. Na longa-metragem desfilam, para além dos personagens principais, um sem fim de animais: cães e ratos que falam, polvos gigantes, tubarões. Em pano de fundo, para além do iceberg, há uma “história sobre o poder de amor”.

4. Saving Christmas (2014)

O filme de Kirk Cameron não é estreante neste rol. O ano passado foi eleito na 35.ª edição dos prémios Razzie como o pior filme do ano. O filme de Darren Doane quer resgatar o Natal das garras do consumismo. E porquê? Porque o Natal, é afinal uma festa católica. E há que trazer Cristo de volta para o Natal.

5. Kod adi K.O.Z. (2015)

Este filme turco realizado por Celal Çimen tem sido acusado de ser um filme de propaganda em favor do presidente Erdoğan. A produção é um filme de ação e intriga política onde não faltam cenas espetaculares… nem armas. Muitas.

6.  Foodfight! (2012)

Parece um vídeojogo, mas não é. É  um filme realizado por  Lawrence Kasanoff e com as vozes de Charlie Sheen, Hilary Duff e Eva Longoria. A história? Um cão detective e os amigos tentam salvar o mundo de um ataque de uma marca perigosa. Um ataque de comida.

7. Himmatwala (2013)

A versão original data de 1983 e Himmatwala foi um sucesso tal que é considerado um clássico de Bollywood. A história repete-se, trinta anos depois: o filho pródigo de um sacerdote do templo que cometeu suicídio regressa à aldeia para vingar a morte do pai. Mas a versão de Sajid Khan, anunciada como um regresso dos anos 80, não conheceu o mesmo sucesso.

8. Birdemic (2010)

Se pensa que já viu maus efeitos especiais, prepare-se para pior. James Nguyen dirigiu e escreveu um filme que retrata a invasão do planeta por um bando de abutres assassinos que, aliados a outros pássaros, querem exterminar a Humanidade. Se é fã assumido do Birds de Hitchcock só tem duas hipóteses: dar uma boa gargalhada ou chorar. A rir.

9. Kelogan kara prens’e karsi (2006)

É a segunda película turca da lista, mas as razões para sua inclusão não são políticas, mas históricas. O ancronismo histórico é rei e senhor nesta comédia, no mínimo, absurda. O enredo tem fadas, dragões, tapetes  voadores e um herói, Kelogan que luta contra um príncipe negro. Tayfun Güneyer, o realizador, não se esqueceu do toque pós-moderno e incorporou sequências copiadas do Matrix.

10. Birdemic 2: The Resurrection (2013)

Uma epidemia de abutres devoradores da Humanidade não chega. O melhor é repetir a dose, mas direccionar  a fúria assassina da passarada para Hollywood. Se assim pensou James Nguyen, melhor, ou neste caso pior, o fez. Com a  mestria na utilização dos efeitos especiais treinada na película anterior, Nguyen colocou as aves assassinas a liquidar um grupo que resolve realizar um filme de baixo orçamento. Irónico?  Não…

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)